Como corrigir 6 erros comuns da estratégia de produto: Um questionário com Roman Pichler

Tempo de leitura: cerca de 9 minutos

O gerenciamento de produtos evoluiu significativamente desde a mudança generalizada da metodologia cascata: equipes ágeis estão trabalhando de forma mais colaborativa e iterativa, possibilitando maior velocidade de entrega e adaptabilidade. No entanto, muitas equipes ainda enfrentam dificuldades com um ponto fundamental do gerenciamento de produtos: a estratégia de produto.

Por que a estratégia de produto continua sendo um desafio tão persistente atualmente? Em busca da resposta, falamos com o especialista em gerenciamento de produtos, autor e palestrante Roman Pichler.  

Com mais de 15 anos de experiência em gestão de produtos e ensinando líderes e proprietários de produtos como melhorar a estratégia de produto, Pichler compartilhou insights sobre como definir e comunicar uma estratégia eficaz de produto, evitar erros comuns e garantir uma forte adesão de partes interessadas.

Vamos começar pelo básico. O que é estratégia de produto e por que as empresas precisam de uma?

Estratégia de produto é um plano geral que ajuda os gerentes de produto a entender e compartilhar a visão, e declara como eles pretendem alcançar o sucesso do produto. Uma boa estratégia de produto explica:

  • Para quem é o produto e por que as pessoas gostariam de usá-lo e comprá-lo 
  • O que é o produto e o que o faz se destacar dos demais 
  • Quais são os objetivos comerciais do produto 

Em outras palavras, uma estratégia de produto eficaz captura o mercado, as necessidades, os principais recursos ou diferenciadores e as metas de negócios. 

Sem uma estratégia de produto, é difícil para as empresas entenderem qual o valor que um produto irá criar e se esse produto de fato deve ser criado — e uma vez que um produto é lançado, se está oferecendo o valor desejado e como o produto deve ser desenvolvido. Em outras palavras, uma estratégia de produto ajuda as empresas a tomar decisões inteligentes de investimento e gerenciar efetivamente seus portfólios de produtos.

A metodologia Ágil oferece às equipes muitas técnicas para melhorar a entrega do produto, mas não fornece orientação sobre a estratégia do produto. Você pode falar um pouco sobre esse ponto?

Uma estrutura ágil, como o Scrum, pressupõe que a equipe do Scrum— proprietário do produto, desenvolvedores e Scrum Master—saiba quem são os usuários e clientes do produto, o porquê esses indivíduos vão querer interagir com o produto e pagar por ele e o porquê vale a pena para a empresa gastar dinheiro desenvolvendo o produto. Sem esse conhecimento, seria impossível estocar efetivamente o backlog do produto e escrever as histórias de usuário certas.

O Scrum, entretanto, não oferece nenhuma orientação sobre como determinar o grupo-alvo e as necessidades corretas. Também não oferece ajuda na seleção dos objetivos comerciais corretos e na garantia de que eles sejam realistas. Em outras palavras, o Scrum tem o objetivo de ajudar as equipes a desenvolver produtos complexos, mas não é uma estrutura de gerenciamento de produtos.

Se as equipes Ágeis não estiverem cientes de que há uma área de trabalho não coberta pelo Scrum e negligenciam a descoberta de produtos e o trabalho de estratégia, elas tendem a se concentrar quase exclusivamente na execução e entrega. No pior dos casos, uma equipe pode acabar fazendo um ótimo trabalho na criação de um produto que as pessoas não querem nem precisam, ou que não gere valor suficiente para a empresa.

Quais são os maiores erros que as empresas cometeram em relação à estratégia de produto?

Há seis erros comuns de estratégia de produto que vejo que as empresas cometem:

1.     Não ter uma estratégia de produto. Sem uma estratégia de produto, não fica claro quem são os usuários e clientes de um produto, qual o valor que o produto deve criar para os usuários, o que diferencia o produto das ofertas concorrentes e quais benefícios o produto deve oferecer ao negócio. 

2.     A estratégia do produto contém informações erradas. Geralmente ocorre devido à mistura de estratégia comercial com estratégia de produto. O primeiro ponto deve declarar a abordagem escolhida para que a empresa tenha ou continue a ter um bom desempenho. O último, deve descrever como você pretende fazer com que o produto tenha sucesso.

3.     A estratégia do produto não foi validada. Uma estratégia de produto não validada contém suposições que não foram testadas e riscos que não foram abordados. Na pior das hipóteses, é construída com base em pensamento positivo, e não em dados. Como consequência, o grupo-alvo pode estar errado, a proposição de valor pode não ser suficientemente forte, ou o objetivo do negócio pode ser pouco realista.

4.     A estratégia do produto está desconectada das decisões táticas sobre ele. Nessas situações, a estratégia não direciona o backlog do produto, e os dados coletados do desenvolvimento de incrementos do produto e da liberação de novas versões do produto não são usados para desenvolver a estratégia. 

5.     A estratégia do produto não recebe o apoio das principais partes interessadas e equipes de desenvolvimento. A falta de apoio das partes interessadas torna qualquer estratégia inútil. Uma ótima maneira de assegurar uma forte adesão é convidar os principais interessados e membros da equipe de desenvolvimento para criar e atualizar o plano.

6.     A estratégia do produto não está atualizada. Nesse caso, uma estratégia de produto é vista como um plano fixo que precisa ser executado. Mas à medida que o produto cresce e evolui e os mercados mudam, a estratégia deve ser adaptada. Para garantir que a estratégia permaneça útil, revise-a uma vez a cada três meses, como regra geral. 

Você menciona o apoio das partes interessadas como uma parte crítica da estratégia do produto. Como um gerente de produto pode comunicar a estratégia às partes interessadas relevantes?

A melhor maneira de comunicar uma estratégia de produto é envolver alguns indivíduos — as principais partes interessadas — na criação, validação e atualização do plano, de preferência com uma oficina colaborativa. 

As principais partes interessadas são as pessoas de quem você precisa de apoio ativo para oferecer o produto. Para um produto comercial, essas pessoas podem ser o profissional de marketing, o representante de vendas, o representante de suporte e o especialista financeiro. Acho que essa abordagem aproveita a experiência dos indivíduos, cria clareza e alinhamento e aumenta as chances de garantir um suporte forte.

estrategia de produto
Um gerente de produto deve ser capaz de comunicar a estratégia de produto a uma variedade de partes interessadas internas e externas.

Ao colaborar na estratégia de produto, não cometa o erro de tentar agradar as pessoas ou permitir que as pessoas dominem o processo decisório. Em vez disso, procure uma decisão que maximize o valor que seu produto cria e, ao mesmo tempo, seja inclusiva e atraia o máximo de apoio possível. 

Tenha cuidado para não concordar com um compromisso fraco. Decidir em conjunto não significa que todo mundo consegue o que quer ou que está necessariamente super feliz com cada decisão. Significa, no entanto, aproveitar a experiência, as idéias e as preocupações das pessoas, criar um entendimento compartilhado e encontrar uma solução apropriada que gere o máximo de adesão possível.

Que dicas ou ferramentas você ofereceria para ajudar a documentar e compartilhar a estratégia de produtos?

Até mesmo a melhor estratégia de produto se torna inútil se você não puder expressá-la e comunicá-la claramente. Para enfrentar esse desafio, desenvolvi o mural de visão do produto. O mural é uma ferramenta simples, mas eficaz, para expressar a estratégia do produto de forma concisa e acessível. Como mostra a figura abaixo, ele é composto de cinco seções: visão, grupo-alvo, necessidades, produto e objetivos comerciais. A parte de cima captura a visão; as quatro inferiores descrevem a estratégia do produto.

mural de visualização do produto
Exemplo de visão de produtos (clique na imagem para modificar online)

Minha intenção ao criar o mural de visualização do produto era oferecer uma ferramenta prática para que as equipes Ágeis criassem, validassem e atualizassem colaborativamente uma estratégia de produto. O Lucidspark oferece uma excelente implementação do mural de visão do produto que facilita a colaboração online das equipes, não importa onde estejam trabalhando. Você também pode aprender mais sobre o mural de visão do produto lendo meu livro Strategize.

Que conselho você tem para os proprietários de produtos que lutam para praticar uma estratégia eficaz de produtos?

Em minha experiência, não é raro que os proprietários de produtos considerem desafiador tomar decisões estratégicas eficazes. Para melhorar a situação, comece por determinar as causas. Aqui estão três comuns:

1.     Falta de capacitação: em alguns casos, os proprietários de produtos não estão capacitados para tomar decisões estratégicas de produtos. Consequentemente, eles não possuem a estratégia de produto e outros decidem sobre ela. Se este é o seu caso, veja como você pode aumentar sua autoridade.

Como proprietário do produto Scrum, você deve ter propriedade da pilha completa. Você deve ter posse não apenas das decisões táticas de produtos e gerenciar o backlog do produto, mas também deve possuir as decisões estratégicas e gerenciar a estratégia de produto e o roteiro. Caso contrário, você sofrerá para cumprir sua responsabilidade de maximizar o valor que o produto cria.

2.     Falta de conhecimento: alguns proprietários de produtos não têm a capacidade de criar, validar e atualizar uma estratégia de produto. Nesse caso, adquira o conhecimento relevante participando de um curso de treinamento ministrado por um instrutor e lendo artigos e livros sobre estratégia de produto. Não se esqueça de testar seu conhecimento aplicando-o ao seu produto, por exemplo, criando um mural de visão do produto. 

3.      Falta de tempo: os proprietários de produtos muitas vezes estão tão ocupados com a atualização do backlog do produto, com a redação de histórias de usuário e com a orientação à equipe de desenvolvimento que eles não têm tempo nem energia para trabalhar na estratégia do produto. Se esse for o seu caso, pare de realizar tarefas que não façam parte da sua função, como executar tarefas do Scrum Master.

Além disso, delegue parte do seu trabalho. Por exemplo, os membros da equipe de desenvolvimento podem fazer alguns trabalhos de refinamento do backlog de produtos por conta própria. Finalmente, reserve algum tempo em seu calendário para trabalhar na estratégia e realizar o trabalho de descoberta — pelo menos meio dia por semana, como regra geral.

Eu ajudo a enfrentar esses desafios no meu curso de estratégia de produto e roadmap, que ensina a construir, validar e atualizar uma estratégia de produto vencedora.

Qual ensinamento sobre a estratégia de produtos que você gostaria de deixar para nossos leitores?

A principal conclusão é que a estratégia de produtos não é algo grandioso ou agradável de se ter. É relevante, pois orienta as decisões diárias de proprietários e equipes de produtos. É importante garantir que uma estratégia de produto eficaz esteja disponível e que seja revisada e atualizada regularmente. Nas palavras de Sun Tzu: "Estratégia sem táticas é o caminho mais lento para a vitória. Tática sem estratégia é o ruído que precede a derrota." 

necessidades de gerenciamento de produto

Melhore o nível de sua estratégia de produto com o kit de ferramentas de Roman Pichler para suas necessidades de gerenciamento de produtos.

Confira

Bastante acessado

Zoom’s Lucidspark Zoom App integrationColaboração aprimorada do Lucidspark com o Zoom

Sobre o Lucidspark

O Lucidspark é um quadro branco virtual que ajuda você e sua equipe a colaborar e colocar em prática as suas melhores ideias. Ele vem com todas as notas adesivas, ferramentas de desenho à mão livre e espaço infinito na tela de desenho de que você precisa para registrar e desenvolver ideias. E ele foi criado especificamente para a colaboração. É um espaço de trabalho onde sua equipe pode discutir ideias e inovar junta em tempo real.

Produzido pelos criadores do Lucidchart, a plataforma utilizada por milhões de usuários em todo o mundo, incluindo 99% das empresas da Fortune 500.

Iniciar

  • Preços
  • Individual
  • Equipe
  • Empresa
  • Falar com o dep. de Vendas
PrivacidadeJurídicoCookies

© 2022 Lucid Software Inc.